16 de março de 2017

Um Herói

O Duarte Afonso traz-nos uma reflexão acerca de heróis, ídolos, celebridades. Será tudo a mesma coisa?


Um herói é muito mais do que um ídolo. Um herói supõe, a meu ver, que faça algo grandioso pela sociedade ou que, de alguma forma, contribua para o desenvolvimento da história mundial.

Primeiramente, gostava de referir que eu, como qualquer pessoa, tenho ídolos, referências. Fico bastante feliz quando vejo o “nosso” Ronaldo a marcar um golo ou a ganhar um prémio, da mesma forma que acho graça quando ouço o cómico Ricardo Araújo Pereira a falar nas manhãs da Comercial. Fico simplesmente contente, e isso é algo saudável. É bom termos exemplos a seguir, mas que não ultrapassem os limites.

Em segundo lugar, é notório que as novas tecnologias contribuem para o surgimento de celebridades, que facilmente se transformam em ídolos. Porém, há sempre aquelas pessoas que seguem os seus ídolos cegamente. Por exemplo, se num dia uma celebridade disser algo que soe bem ao ouvido, muitas serão as pessoas que, contagiadas, dirão essa mesma expressão, sem saber porque o estão a fazer.

Por último, creio que esta ideia também não é completamente válida, ou seja, um herói não é necessariamente um ídolo, pois muitos foram os heróis que não tiveram o devido reconhecimento.

Em suma, a noção de herói é diferente da de ídolo. É bom que todos tenham referências, mas que as sigam de forma saudável.

Duarte Afonso, 9ºB

2 comentários:

Ferreira Borges disse...

De facto, continue a pensar assim, vai longe!!

Ferreira Borges disse...

O poder da palavra. Continue o bom trabalho.