27 de janeiro de 2016

A exploração humana



fotografia de Josh Adamski
Ao longo dos tempos, verificamos que as relações entre os Homens nem sempre foram pacíficas. Um dos motivos é a exploração do Homem pelo Homem. Há várias situações no mundo que mostram que o Homem explora o seu semelhante.
Em primeiro lugar, a procura cega do enriquecimento fácil faz com que o Homem não olhe a meios para atingir os seus fins, servindo-se de outros que considera mais fracos. A escravatura dos negros e dos índios foi uma consequência da ganância humana. Mais recentemente, jovens, que procuram uma vida melhor noutros países, são reduzidas também à condição de escravas sexuais pelo tráfico humano.
Em segundo lugar, a megalomania e o desejo de conquista do poder sobre os outros fazem com que alguns reis e “pequenos ditadores” retirem a dignidade humana àqueles que consideram inferiores. A colonização da América do Sul através da escravatura e dizimação de povos como os Astecas e os Maias é uma das situações que prova a exploração humana. Por outro lado, o que Hitler fez aos judeus, aos ciganos e aos homossexuais e a outras minorias deveu-se, não só aos preconceitos raciais, mas também à sua mania de grandeza e de conquista do mundo, pois os judeus eram um povo muito rico e inteligente.
Em suma, desde sempre houve situações de exploração humana. No entanto, cabe a cada um de nós adotar uma atitude de respeito pelo outro para que possamos construir um mundo melhor.
        
Leonor Solla, 9º E

2 comentários:

Soledade disse...

Muito bem, Leonor, excelente argumentação!

Ferreira Borges disse...

Uma boa perspectiva. Um olhar crítico.